Os preços da soja em grão estão em alta no Brasil, impulsionados pela demanda firme e retração de venda.

O fato é que os sojicultores aguardam o próximo semestre para negociar lotes maiores.

Os preços internos da soja e de seus derivados seguem sustentados pela firme demanda, principalmente da China, e pela elevação do dólar frente ao Real.

Nesse cenário, parte dos vendedores brasileiros permanecem retraídos, estocando para negociar no segundo semestre, limitando assim a comercialização no curto prazo.

Além disso, segundo pesquisadores do Cepea, o dólar em patamares mais elevados que o Real, a elevação do prêmio de exportação no Brasil e condições climáticas desfavoráveis ao semeio nos Estados Unidos (que elevaram os valores dos contratos futuros na Bolsa de Chicago), também foram fatores de alta para os preços domésticos.

A Figura abaixo destaca o comportamento recente dos preços da soja.

 

Fonte: Dados do Cepea/Esalq (adaptado por Farmnews)

Fonte: Dados do Cepea/Esalq (adaptado por Farmnews)

 

Os dados acima demostram a firmeza dos preços da soja ao longo das últimas semanas.

E os preços do milho? As cotações de milho têm apresentado comportamentos distintos entre as regiões acompanhadas pelo Cepea.

A retração vendedora tem sustentado as cotações de milho no mercado interno. Assim, conforme relatos de colaboradores do Cepea, compradores que têm necessidade de entregas imediatas acabam elevando os preços ofertados.

No entanto, a comercialização do cereal segue limitada, devido à entrada de volume ainda pequeno de milho segunda safra no mercado e da preferência de vendedores pela exportação.

Na parcial de junho (até o dia 14), os preços do milho no mercado disponível (negociações entre empresas) no porto de Paranaguá estavam 8% abaixo dos valores de exportação da Argentina, cenário muito favorável se comparado ao do mesmo mês do ano passado, quando os preços brasileiros para exportação estavam 17% superiores aos argentinos.

Na média das regiões acompanhadas pelo Cepea, as cotações do milho permaneceram praticamente estáveis (-0,3%) no mercado disponível (negociação entre empresas) entre 9 e 16 de junho. Em Campinas (SP), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa recuou 0,9% no mesmo período, a R$ 27,11/saca de 60 quilos na sexta-feira, 16.

 

Fonte: Dados do Cepea/Esalq (adaptado por Farmnews)

Fonte: Dados do Cepea/Esalq (adaptado por Farmnews)

 

Ao contrário da firmeza recente dos preços dos grãos (milho e soja), o mercado do boi gordo segue fraco e com cotações em queda (clique aqui). No ano, o indicador Cepea/Esalq do boi gordo acumula queda próxima a 14% (até 16 de junho).

O Farmnews é o canal de notícias da Farmlogics.

Preços da soja em grão e do milho ao longo de 2017 was last modified: by