bovinos confinados

Análise dos custos de produção dos bovinos confinados em 2017

O Farmnews destaca a edição especial da análise dos custos de produção de bovinos confinados do LAE/USP, referente ao ano de 2017.

Clique aqui e saiba mais do modelo de análise dos custos de produção de bovinos confinados, elaborado pela equipe do Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE) da FMVZ/USP.

Os custos da diária dos bovinos confinados nos estados de São Paulo e Goiás apresentaram comportamentos distintos (Tabela abaixo).

bovinos confinados

A Figura melhor ilustra a variação dos custos de produção dos bovinos confinados ao longo de 2017.

 

bovinos confinados

Fonte: Dados do LAE – USP/Pirassununga (adaptado por Farmnews)

 

Observa-se que os custos da diária-boi (CDB) para o estado de São Paulo foram mais altos entre os meses de maio e junho e os CDB no segundo semestre recuaram 5,23%, aproximadamente, com relação ao primeiro semestre.

Para o estado de Goiás o comportamento foi oposto, houve alta de 8,22% no CDB no segundo semestre. Em outras palavras, o CDB do confinador do estado de Goiás em abril era R$7,12 e em dezembro o custo foi de R$7,59.

Essa divergência entre os estados está relacionada principalmente aos preços dos insumos alimentares que compõe este indicador. No custo da diária-boi estão inclusos todos os custos, exceto aquisição de animais e os custos de oportunidade relacionados.

Apesar do estado de Goiás se apresentar como um importante produtor de grãos, no estado de São Paulo existem mais possibilidades de utilizar subprodutos nas dietas dos animais. Essa vantagem para SP auxilia a contornar algumas altas dos preços do milho e farelo de soja, por exemplo.

O boi magro ou reposição do confinamento – animal de 12 arrobas ou 360 kg – é outro item de custo de importância na composição dos custos. Portanto, comprar na época mais adequada pode auxiliar o confinador a obter o sucesso econômico da atividade. Os menores preços foram registrados entre junho e agosto para ambos os estados analisados.

Quando se analisou a quantidade de arrobas de boi gordo necessárias para comprar um animal de reposição verificou-se que foi o mês de julho o mais vantajoso. Ou seja, o pecuarista que troca os animais gordos por magros (reposição) levaria mais vantagem ao fazer isso em julho.

A análise de todos os custos se faz necessário para garantir a viabilidade do negócio e evitar a descapitalização do produtor na atividade, portanto, o indicador de custo mais completo é o custo total (CT).

O CT total reduziu ao longo do período de análise, mas com altas nos meses de setembro, novembro e dezembro. No entanto, observa-se que foi apenas a partir do mês de agosto que a receita por arroba foi maior que os CT.

As margens de lucro de maio a julho foram negativas em 3,56%, em média. Ou seja, o confinador neste período teria assumido um prejuízo de R$5,19 e R$4,54 por arroba de boi para as propriedades CSPm e CSPg, respectivamente. As margens de lucro tornaram-se positivas a partir do mês de agosto, portanto, havendo uma recuperação para o setor.

Em outubro se identificou o maior lucro econômico (LE) para essas propriedades representativas. Assim, de modo geral, os confinadores em São Paulo tiverem margens de 2,95% para o período analisado. Para as análises feitas para o estado de Goiás, houve prejuízo econômico de maio a agosto. Portanto, somente após o mês de setembro foi possível recuperar as margens econômicas.

O Farmnews apresenta os dados da evolução do número de bovinos confinados no Brasil ao longo dos últimos anos. Clique aqui e confira!

Siga o Farmnews, o canal de notícias do agronegócio!

Análise dos custos de produção dos bovinos confinados em 2017 was last modified: by

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!