pecuária de corte no Paraguai

Pecuária de corte no Paraguai: a realidade da produção no país

Um dos nossos leitores nos perguntou dos números da pecuária de corte no Paraguai.

Vamos aos dados e conhecer um pouco da pecuária de corte no Paraguai.

A produção de carne bovina paraguaia em 2018 está prevista em 620 mil toneladas (equivalente em peso de carcaça), um aumento marginal comparado aos dois anos anteriores.

Existem vários fatores na pecuária de corte no Paraguai que deverão impactar o setor de diferentes maneiras:

  1. um rebanho bovino menor desde o pico de 2014, caindo 700 mil cabeças em dois anos;
  2. o impacto climático, que na maioria das áreas tem sido benéfico, mas em algumas regiões do sul as inundações afetaram negativamente o número de animais e a eficiência da produção;
  3. em curso (mas a um ritmo um pouco mais lento) a expansão de novas operações com investimentos significativos principalmente na região do Chaco;
  4. retornos positivos esperados para a maioria dos produtores;
  5. uso crescente de milho como ração na dieta; e
  6. um número crescente de animais vindo do Brasil.

O rebanho bovinos do país caiu nos últimos dois anos, de 14,5 milhões em 2014 para 13,8 milhões em 2016 (e 2017) devido ao maior abate decorrente do aumento das exportações de carne bovina.

Embora não haja uma estimativa oficial do abate de bovinos do Paraguai e da produção de carne, o abate em plantas que exportam praticamente duplicou em dez anos, chegando a 2 milhões de cabeças em 2016.

O Paraguai ainda concentra os abates em pequenos matadouros e nas próprias fazenda no interior do país. Esta carne é consumida no mercado interno.

Estima-se que cerca de 400.000 a 700.000 cabeças são abatidas anualmente fora das grandes plantas exportadoras. Existem aproximadamente 250 municípios em todo o Paraguai e todos têm pelo menos um matadouro.

O rebanho de gado também foi afetado negativamente pela falta de importação de bovinos da Argentina desde 2014, quera cerca de  25% mais barato, em dólares, que no Paraguai.

A baixa produtividade da pecuária de corte no Paraguai está se tornando um problema.

Enquanto o país abre novos mercados por sua carne e demanda cresce, seu rebanho de gado diminui lentamente.

Os principais problemas de uma baixa relação de desmame estão relacionados à má nutrição das vacas, doenças reprodutivas e uma alta taxa de perda de bezerros nascidos.

O Paraguai tem cerca de 135 mil pequenos produtores de gado (com menos de 100 cabeças) que, em conjunto, detêm 3 milhões de cabeças, 15 mil produtores médios (entre 110 e 1000 cabeças) que detêm 4 milhões de cabeças; e 3.000 grandes produtores (+1.000 cabeças) que possuem 7 milhões de cabeças

A maioria dos grandes produtores usa boa tecnologia e gerenciamento, e seu índice de desmame varia entre 55 e 56%. O índice de desmame dos pequenos produtores é muito baixo, variando entre 28-35%.

O Farmnews apresenta alguns dados de produção e mercado da pecuária de corte argentina, que em 2016 tem mostrado sinais de recuperação (clique aqui e saiba mais). O Farmnews tem destacado os números da pecuária de corte dos principais produtores, mundiais, como EUA e Austrália. Clique nos respectivos países para acessar os artigos!

O Farmnews é o canal de notícias da Farmlogics!

Pecuária de corte no Paraguai: a realidade da produção no país was last modified: by

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!