preços do traseiro

Diferença de preços do traseiro e dianteiro ao longo do ano

A diferença de preços do traseiro e do dianteiro no atacado é sensível ao longo do ano.

Considerando a série de preços da carne negociada no mercado atacadista da Grande São Paulo de 2015 a 2019, os preços do traseiro registram queda no primeiro semestre, mas se recuperam no segundo. Já no caso do dianteiro, o movimento é o contrário, com alta nos preços na primeira metade do ano e recuos na segunda metade.

Pesquisadores do Cepea indicam que esse movimento evidencia que a diferença entre os preços do traseiro e do dianteiro tende a ser ampla entre final e início de cada ano e estreita entre o encerramento do primeiro semestre e começo do segundo.

De acordo com dados do Cepea, a diferença entre os preços do traseiro e do dianteiro, que era de R$6,32/kg no começo de 2019, passou para R$3,07/kg no final de maio.

Nos primeiros dias de janeiro de 2018, a diferença entre o traseiro e o dianteiro era de R$6,0/kg e, no início do segundo semestre daquele ano, caiu para R$2,7/kg. Nesse mesmo período de comparação, em 2017, a diferença saiu de R$5,5/kg para R$2,94/kg, e, em 2016, de R$4,30/kg para R$1,74/kg.

Segundo pesquisadores do Cepea, isso significa que, ao longo de junho de 2019, a diferença entre os preços do traseiro e do dianteiro tende a diminuir ainda mais, com desvalorização para o primeiro e valorização para o segundo.

E por falar em preços da carne bovina, qual o impacto do surto da febre suína africana que acontece na Ásia para o Brasil? Afinal, quais os efeitos esperados para o Brasil diante da crise na produção de suínos na China? Clique aqui e saiba mais do assunto!

Clique aqui e saiba o que pesa mais no custo de produção de bovinos confinados!

Adaptado do Cepea

Siga o Farmnews, o canal de notícias do agronegócio!

Diferença de preços do traseiro e dianteiro ao longo do ano was last modified: by

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!