produção de carne na china

Febre suína segue derrubando produção de carne na China em 2020

A produção de carne na China em 2020 deve seguir caindo em virtude dos efeitos da febre suína.

Enquanto o COVID-19 atualmente domina todas as manchetes, incluindo as relacionadas à produção e fornecimento de carne, a febre suína africana ainda tem um enorme impacto no comércio mundial de carnes.

A China normalmente produz e consome cerca de metade da carne suína do mundo, portanto, mesmo pequenas interrupções em sua produção geram oscilações significativas nos padrões globais de comércio de proteína de origem animal como um todo, não apenas da carne suína. Vale lembrar que em 2020 a importação de carnes do Brasil pela China tem sido recorde! Clique aqui e confira!

O Farmnews apresenta os dados de produção dos principais países produtores mundiais de carne suína. Clique aqui e confira!

Vale lembrar que o impacto da febre suína no país asiático foi sem precedentes, causando um declínio na oferta mundial de carne suína de mais de 10% em 2019. Em 2020, a produção global deverá cair mais de 16% em relação a 2018.

Como o vírus da febre suína se espalhou para todas a China em 2019 e causou mortalidades significativas, os produtores – com medo de uma maior disseminação – correram para abater seus rebanhos antes de serem infectados. Assim, a queda na produção da China e o aumento das importações não se concretizaram totalmente até o final de 2019.

Os dados do Ministério da Agricultura chinês apontam para uma lenta recuperação do rebanho de suínos após a queda em 2019. E, claro, a febre suína continua sendo um perigo em toda a China e o COVID-19 adicionou incertezas ainda maiores ao mercado de suínos e suínos .

O abate de suínos vivos no primeiro trimestre de 2020 da China foi de 131,29 milhões de cabeças, um declínio de 30% (ou mais de 57 milhões de cabeças) em relação ao primeiro trimestre de 2019. A produção de suínos no primeiro trimestre de 2020 foi de 10,38 milhões de toneladas, 29% abaixo do observado no mesmo período de 2019.

E ao mesmo tempo que a produção de carne pela China desaba, a importação de carne suína do Brasil pelos chineses aumentou quase 4 vezes nos primeiros 3 meses de 2020. E a importação disparou não apenas para a carne suína. Isso porque a compra de carne bovina pela China quase triplicou nos 4 primeiros meses de 2020, ultrapassando US$1,0 bilhão no período. Clique aqui e confira os dados!

Os dados indicam que a produção de carne na China continuará a diminuir em 2020, caindo 8% ano a ano para cerca de 39 milhões de toneladas. A produção de carne suína deve começar a subir em 2021, mas será pelo menos 2022 antes que a produção retorne ao nível pré-febre suína africana visto no primeiro semestre de 2018.

Qual a expectativa de queda no consumo de carne nos Estados Unidos em 2020 devido aos efeitos da COVID-19? Clique aqui e confira os dados!

Adaptado de National HogFarmer

Receba os estudos do Farmnews no WhatsApp!

Febre suína segue derrubando produção de carne na China em 2020 was last modified: by