azeites

Saiba que os azeites não são todos iguais!

Confira algumas curiosidades e das diferenças dos tipos de azeites. Afinal de contas, eles não são todos iguais.

Existem muitos tipos de olivas utilizados para fazer azeites. Mas a variedade da oliva não tem nada a ver com a classificação do azeite que consta nas embalagens. Esta leva em conta a acidez. Que, por sua vez, também não tem relação com o sabor e as características aromáticas de um azeite.

Para ser considerado “extravirgem”, o produto deve ter até 0,8% de acidez e nenhum problema sensorial. Isso não quer dizer, necessariamente, que azeites de acidez menor são melhores do que produtos com acidez maior.

A acidez de até 0,8% apenas indica que todas as etapas de processamento (desde a maturação da oliva até a embalagem do azeite), foram realizadas como se deve. Todo azeite extravirgem é extraído a frio, em temperatura de até 28 °C. Mas nem todo azeite extraído a frio pode ser considerado extravirgem.

O produto que apresenta acidez até 2% é denominado “azeite virgem” ou “virgem fino”.

Azeites com acidez acima de 2% não são adequados para o consumo, mas podem ficar dentro dos padrões após um processo de refino, que reduz a acidez.

Entretanto, o refino também remove as substâncias aromáticas e de sabor, bem como os antioxidantes naturais, pigmentos e vitaminas do azeite. A esse produto, normalmente, é adicionada certa quantidade de azeite extravirgem ou virgem fino. Ele é comercializado sob a denominação “Azeite de Oliva”, “Azeite Tradicional” ou “Azeite Refinado”.

E nesse assunto, você conhece as algumas das diferenças entre azeite e óleo? Clique aqui e saiba mais do assunto!

Siga o Foodnews, o canal de notícias da gastronomia!

Saiba que os azeites não são todos iguais! was last modified: by

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!