exportação de alimentos

Brasil exporta mais que commodities: dados da exportação de alimentos

O potencial de exportação de alimentos do Brasil vai muito além dos produtos de origem primária (commodities).

O fato é que o País é capaz de produzir e entregar uma variedade de iguarias saudáveis, inovadoras, produzidas em consonância com as melhores práticas de sustentabilidade e que podem compor receitas da alta gastronomia mundial.

Esse é o cardápio que 34 empresas brasileiras apresentarão a compradores e potenciais parceiros estrangeiros em um pavilhão de 315m² durante a Summer Fancy Food Show, que ocorre em Nova Iorque (Estados Unidos), de 23 a 25 de junho de 2019.

Dentre os destaques de alimentos tipicamente brasileiros na Fancy Food estão açaí, tapioca e castanhas. O leque de produtos também inclui bebidas alcoólicas e não-alcoólicas, frutas, vegetais, biscoitos, massas, pães, bolos, cereais, grãos, especiarias, doces, balas, confeitos, produtos congelados, comidas naturais e saudáveis, mel, própolis, chocolates, cafés especiais, polpas de frutas congeladas, panetones, alimentos tradicionais (feijoada, carne seca, mandioca) embalados a vácuo e condimentos orgânicos e sustentáveis.

Dados do relatório “State of the Specialty Food Industry”, produzido pela Mintel e pela Specialty Food Association, organizadora da Summer Fancy Food Show, indicam que as vendas de alimentos especiais (specialty food) nos EUA alcançaram US$ 140,3 bilhões em 2017, o que representa crescimento de 11% em relação a 2015. Apenas no varejo, o crescimento foi de 12,9% (21% no comércio eletrônico). Em comparação, as vendas de alimentos em geral no varejo cresceram 1,4% no mesmo período.

Os fatores que potencializam o aumento da procura por alimentos especiais nos EUA são a introdução de novos produtos e a maior disponibilidade desses alimentos em varejistas maiores.

Alguns dados reforçam o potencial do Brasil no mercado de exportação de alimentos especiais:

  • Em 2018, segundo dados do Comex Stat, o Brasil exportou US$ 3,8 milhões de tapioca hidratada e é o quarto maior exportador mundial. Para os EUA exportamos US$ 1,34 milhão de tapioca em 2018.
  • As empresas que produzem pão de queijo e são apoiadas pela Apex-Brasil exportaram US$ 5,08 milhões em 2018, sendo US$ 3,2 milhões para os EUA.
  • Segundo o Comex Stat, exportamos aproximadamente US$ 29,3 milhões de açaí em 2018, sendo US$ 20 milhões para os EUA.
  • Em termos de cachaça, segundo o Trade Map, exportamos U$$ 15,6 milhões em 2018, sendo US$ 3,1 milhões para os EUA.
  • O Trade Map também aponta que exportamos U$ 116,1 milhões em castanha de caju em 2018, sendo US$ 54,07 milhões para os EUA. O Brasil é o 13 maior exportador mundial do produto.
  • Ainda segundo o Trade Map, exportamos US$ 42,9 milhões em Castanha do Brasil em 2018, sendo US$ 11,8 milhões para os EUA. Nesse segmento, o Brasil é o 3 maior exportador mundial.

E por falar em exportação de alimentos o Brasil apresentou recorde de embarques de castanha do Pará em 2018, por exemplo. Clique aqui e confira os dados! Confira também dados da exportação de alimentos como de vinhos e cervejas em 2018!

Siga o Foodnews, o canal de notícias da gastronomia!

Brasil exporta mais que commodities: dados da exportação de alimentos was last modified: by

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!