agronegócio brasileiro

Agronegócio brasileiro não para de abrir mercados fora do País

O agronegócio brasileiro não cansa de crescer e de abrir mercados no exterior.

Nesse contexto de preços em alta é importante reforçar o fato que as vendas externas agronegócio brasileiro tiveram um crescimento de 17,5% pela média diária nos 4 primeiros meses de 2020, comparado ao igual período de 2019. Clique aqui!

O fato é que mais de 700 estabelecimentos foram habilitados a exportar produtos agropecuários para 24 países desde janeiro de 2019. No início desta semana, mais quatro unidades frigoríficas de aves e uma de suínos foram credenciadas e irão vender as carnes do Brasil ao Vietnã.

A ministra Tereza Cristina comemora a ampliação das habilitações para mais um país. “Isso mostra que o mundo olha o Brasil como grande fornecedor de alimentos, supridor de alimentos”, destaca.

As novas plantas frigoríficas de aves aptas a exportar para o Vietnã estão localizadas nos estados de São Paulo, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Já as suínas, em Minas Gerais. As exportações de produtos agrícolas para o Vietnã, em 2019, somaram US$27,5 bilhões. Em 2018, totalizaram US$22,6 bilhões.

Desde janeiro de 2019, foram 65 mercados abertos para produtos do agronegócio brasileiro, sendo 30 aberturas registradas somente em 2020.

Em maio, por exemplo, a Tailândia, comunicou que irá importar carne bovina com osso, carne desossada e miúdos comestíveis de bovino do Brasil, mercado com potencial de receita de US$100 milhões nos próximos anos. O país também abriu seu mercado para os lácteos brasileiros.

Já no início do mês passado, o governo das Filipinas credenciou estabelecimentos de carnes bovinas (Goiás, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Minas Gerais, Tocantins e Pará), de aves (Paraná, Santa Catarina e rio Grande do Sul), de peru (Rio Grande do Sul) e suína (Santa Catarina).

Outros novos mercados são castanha-de-baru para Coreia do Sul, melão para China (primeira fruta brasileira para o país asiático), gergelim para a Índia, castanha-do-Brasil (castanha-do-Pará) para Arábia Saudita, material genético avícola para diversos países e milho de pipoca para Colômbia.

As exportações do agronegócio brasileiro atingiram valor recorde em abril, ultrapassando pela primeira vez a barreira de US$10 bilhões no mês. O recorde anterior das vendas externas neste mês ocorreu em abril de 2013, quando as exportações somaram US$9,65 bilhões.

E, claro, nesse momento de pandemia a importância do agronegócio brasileiro para a segurança alimentar da humanidade tem sido novamente reforçada!

E ainda ressaltando o agronegócio brasileiro, vale lembrar que a agropecuária foi o único setor da economia que apresentou crescimento de 0,6% no primeiro trimestre de 2020 em comparação ao quarto trimestre de 2019, conforme dados divulgados pelo IBGE sobre o Produto Interno Bruto (PIB) do país. Clique aqui e saiba mais!

Adaptado do MAPA

Receba os estudos do Farmnews no WhatsApp!

Agronegócio brasileiro não para de abrir mercados fora do País was last modified: by

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!