quanto vale o dejeto de vacas

Quanto vale os dejetos das vacas leiteiras em confinamento?

Afinal, quanto vale os dejetos das vacas leiteiras em regime de confinamento?

Pesquisadora do LAE/USP, Miriam Fabiana da Silva avaliou o assunto e trás dados sobre o valor dos dejetos das vacas leiteiras em confinamento.

O fato é que a bovinocultura leiteira, como as demais atividades pecuárias, pode causar impactos negativos no ambiente, devido ao manejo incorreto dos resíduos, e, a consequente, disposição inadequada destes, aumentando o risco de contaminação do solo, das águas superficiais e subterrâneas e de emissões de gases e odores.

Portanto, o manejo dos dejetos leiteiros é de extrema relevância e pelo uso de práticas e tecnologias é possível minimizar os impactos ambientais, devendo ser considerado os aspectos zootécnicos, econômicos e sociais do sistema produtivo.

O balanço de nutrientes é uma ferramenta importante para realizar a estimativa da diferença entre as entradas e saídas de nutrientes de qualquer atividade pecuária. A partir das informações geradas pelo balanço podem ser adotadas medidas de controle dos fluxos de nutrientes, com a finalidade de melhorar a ciclagem de nutrientes e minimizar as perdas para o ambiente.

A pesquisadora Angélica Caritás, do LAE/USP, avalia os dados da evolução do número de estabelecimentos processadores de leite no Brasil. Clique aqui e confira!

O balanço também auxilia na gestão dos insumos e aumento da eficiência do uso destes, contribuindo de forma positiva para o retorno econômico da atividade. Assim, o uso dos dejetos como fertilizante representa uma oportunidade econômica e, consequentemente, reduz a entrada de insumos na forma de fertilizantes químicos o que determinará balanços de nutrientes mais equilibrados.

O objetivo da pesquisa foi de calcular o balanço e a eficiência de uso de nutrientes de um sistema de produção de leite e, com isso, responder a questão: quanto vale os dejetos das vacas leiteiras, ou seja valorar economicamente os nutrientes que permanecem no sistema na forma de dejetos.

O balanço de nutrientes foi calculado com base em um sistema de produção em que tinha um manejo na estação chuvosa, animais a pasto, e de seca, animais em confinamento. A estação de seca foi o período escolhido para realização do balanço pelos animais estarem em confinamento e haver a necessidade de manejo dos dejetos. Na estação chuvosa os animais permaneciam a pasto, sendo a distribuição dos dejetos feita naturalmente. Os dados do sistema são apresentados na Tabela 1.

Para o cálculo balanço de nutrientes considerou-se somente as vacas em lactação e sem a aquisição e venda de animais. Os nutrientes analisados foram nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), sendo as entradas os ingredientes da dieta e a saída o produto leite. Os cálculos foram feitos com base na matéria seca. O balanço foi calculado pela diferença entre a quantidade de N, P e K que entrou por meio dos alimentos e a saída por meio da produção de leite.

O Farmnews apresenta os dados de produção dos maiores produtores de leite entre os anos de 2014 e 2019. Afinal, quem são os países e como evoluiu a produção dos maiores produtores de leite ao longo dos últimos anos? Clique aqui e confira!

A Tabela 2 apresenta as entradas, a saída e o balanço de nutrientes do sistema de produção de leite. O balanço foi positivo para os três nutrientes, as entradas foram maiores que as saídas. A entrada de N foi de 2.610,69 kg, a de P de 512,59 kg e a de K de 1.458,52 kg, sendo que 45% 40% e 71% desses valores foram constituídos pela silagem de milho, respectivamente. Considerou-se que a diferença entre entradas e a saída ficou no sistema na forma de dejetos que devem ser manejados a fim de reduzir o potencial poluidor do sistema de produção. Sabe-se que parte desta diferença é utilizada na formação dos ossos, tecidos e outros processos fisiológicos dos animais. A eficiência de uso do N foi de 27%, do P 22% e do K 13%.

O valor econômico dos dejetos foi calculado com base no preço médio de mercado dos fertilizantes equivalentes, como ureia (45% N), superfosfato simples (18% P2O5) e cloreto de potássio (60% K2O). A quantificação dos nutrientes no dejeto e sua respectiva valoração econômica são apresentados na Tabela 3. No período estudado, estimou-se que o valor do dejeto total, o valor do dejeto por vaca e o valor do dejeto por kg de leite foi de R$ 18.771,24, R$ 318,16 e de R$ 0,13, respectivamente.

Pois é e, afinal, quanto vale os dejetos das vacas? Pelos dados da pesquisa, o valor do dejeto por vaca e por litro de leite foram de R$18.771,24 e R$0,13, respectivamente.

Esses valores demonstram a importância econômica da utilização dos dejetos como fonte de nutrientes para as culturas vegetais na propriedade leiteira.

E o mais importante, a correta utilização destes terá impactos positivos na economia da propriedade e para o ambiente, desde que a aplicação dos dejetos no solo seja feita considerando as condições climáticas, a fertilidade do solo e a exigência de nutrientes das culturas. Uma opção seria utilizar o dejeto na produção de milho para silagem ou concentrado, reduzindo o custo da produção do milho. Outra opção seria tratar os dejetos por compostagem e vender o composto. Isso poderia agregar outra fonte de renda à propriedade.

A pesquisa relacionada ao valor dos dejetos da fase de confinamento de um sistema de produção de leite foi apresentado no VI Simposio Internacional sobre Gerenciamento dos Residuos Agropecuários e Agroindustriais – Sigera em maio de 2019.

Siga o Farmnews, o canal de notícias do agronegócio!

Quanto vale os dejetos das vacas leiteiras em confinamento? was last modified: by