Mercado

Preço do bezerro no 1° semestre de 2022 cai frente a 2021: dados de 10 anos

O Farmnews apresenta os dados do preço do bezerro no 1° semestre entre os anos de 2012 e 2022.

O fato é que o preço do bezerro, em valores nominais na primeira metade de 2022, apresentou queda frente ao valor médio praticado no mesmo período de 2021. Foi a primeira queda no período após 5 anos, já que a última vez que o valor nominal ficou abaixo da observada no mesmo período do ano anterior foi em 2017 (Figura).

A Figura a seguir ilustra a evolução nominal do preço do bezerro no 1° semestre de cada ano, entre 2012 e 2022, segundo dados do Cepea (Mato Grosso do Sul), em Reais por cabeça.

Fonte: Dados do Cepea (adaptado por Farmnews)

O preço do bezerro no 1° semestre de 2022 de R$2.758,7 por cabeça ficou 5,7% abaixo do valor nominal praticado na primeira metade de 2021 (R$2.924,1).

Mas vale salientar que essa queda em 2022 vem após 2 anos consecutivos de forte alta. Isso porque em 2020 o preço do bezerro no 1° semestre acumulou alta de 41,8% frente a 2019. Já em 2021 o bezerro acumulou ganho de 64,2% em relação ao valor dos primeiros 6 meses de 2020.

Pois é e é importante destacar que mesmo com o preço do bezerro em queda em 2022 os valores médios seguem mais que o dobro do praticado em 2019, por exemplo.

Com a queda no preço do bezerro em 2022 e a relativa estabilidade no preço do boi gordo na parcial do ano, a troca de bezerros por boi gordo alcançou, na parcial de junho de 2022, o maior valor desde o final de 2019. Clique aqui e confira! Isso mostra que o poder de compra do pecuarista que depende da reposição do rebanho no mercado melhorou.

O Farmnews apresenta os dados do preço do boi gordo no 1° semestre entre os anos de 2012 e 2022. Clique aqui e saiba mais!

Clique aqui e receba os estudos do Farmnews pelo WhatsApp!

Preço do bezerro no 1° semestre de 2022 cai frente a 2021: dados de 10 anos was last modified: by

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo