taxa de prenhez em vacas angus

Pesquisador do LAE/USP avalia taxa de prenhez em vacas Angus

O objetivo do estudo foi avaliar a taxa de prenhez em vacas da raça Angus, sob diferentes escores de condição corporal em programas de IATF.

O trabalho foi realizado no município de Pedro Osório/RS, onde foram avaliadas 448 vacas multíparas, todas com identificação individual, com idade compreendida entre três e seis anos. Os animais foram mantidos em regime de campo nativo, com lotação de 0,8 UA/ha. O gráfico 1 apresenta a distribuição dos animais conforme o escore de condição corporal.

Anterior ao processo de IATF os animais foram distribuídos aleatoriamente em dois lotes iguais. No dia 0, todos os animais passaram por exame de ultrassonografia para verificação da atividade cíclica, após foi aplicado 2,0mg de benzoato de estradiol e introdução vaginal do dispositivo de progesterona com 1,9g de progesterona (CIDR®). No dia 8, foi retirado os dispositivos de progesterona, aplicado mais 1mg de benzoato de estradiol e mais 10mg de prostaglandina F2 alfa – PGF2α. Dia 10 foi realizada a inseminação artificial. Logo após a IATF as fêmeas foram expostas a touros de repasse da raça Angus, sendo mantidas com os mesmos até o final da estação de monta.

No presente estudo, todas as fêmeas foram submetidas à avaliação de escore de condição corporal (ECC), sendo classificadas após a IATF, através de uma escala de 1 a 5, sendo ECC 1 – muito magro e ECC 5 – animal obeso. Os animais permaneceram por todo período sob as mesmas condições de pastagem nativa e convívio social.

taxa de prenhez em vacas angus

O diagnóstico de gestação foi realizado através de ultrassonografia transretal sessenta dias após a data de inseminação. A análise estatística foi realizada utilizando o teste de Qui-quadrado e teste exato de Fisher, ao nível de 5% de significância, utilizando-se o software R (R Core Team, 2014). A taxa de prenhez foi expressa em frequência absoluta e percentual simples.

Os resultados obtidos neste estudo apontam para uma associação entre o estado nutricional das vacas e o desempenho reprodutivo, conforme relatado por diversos autores (Rigolon et al., 2008; Sonohata et al., 2009).

Os animais observados obtiveram uma variação de ECC de 2,5 a 4,5, com diferentes taxas de prenhez.

Realizando a comparação dos escores 2,5 e 4,5 não se observou diferença significativa, produzindo as menores taxas de prenhez. Da mesma forma a comparação entre os escores 3, 3,5 e 4 não foram observadas diferenças, no entanto produziram respostas significativamente superior aos escores 2,5 e 4,5 conforme gráfico 2.

taxa de prenhez em vacas angus

Os dados foram ponderados pelo teste do qui-quadrado e os resultados analisados apontam que há associação entre o ECC e a taxa de prenhez (p<0,05), podendo concluir que fêmeas com pior condição corporal (ECC-2,5) ou com condição corporal muito elevada (ECC-4,5), apresentaram menores taxas de prenhez quando comparadas aquelas com melhor condição corporal (ECC-3, ECC-3,5 e ECC-4) quando submetidas ao protocolo de IATF.

A conclusão do estudo demonstrou que o estado nutricional das fêmeas bovinas está diretamente relacionado há taxa de concepção e a maximização dos protocolos de IATF. Assim a mensuração do escore de condição corporal é uma ferramenta que pode ser utilizada como critério de seleção para introdução de protocolos de IATF em rebanhos bovinos.

E por falar em taxa de prenhez em vacas Angus, clique aqui e confira pesquisa que avalia a viabilidade do uso da IATF.

Bibliografia

RIGOLON, L. P.; PRADO, I. N.; CAVALIERI, F. L. B.; NEGRÃO, J. A.; SILVA, R. R.; MARQUES, J. A. Níveis de ingestão de matéria seca sobre metabólitos e hormônios circulantes e hormônios foliculares em novilhas de corte. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, Salvador, v. 9, n. 2, p. 367-383, 2008.

SONOHATA, M. M.; OLIVEIRA, C. A. L.; CANUTO, N. G. D.; ABREU, U. G. P.; FERNANDES, D. D. Escore de condição corporal e desempenho reprodutivo de vacas no Pantanal do Mato Grosso do Sul – Brasil. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, Salvador, v. 10, n. 4, p. 988-998, 2009.

Siga o Farmnews, o canal de notícias do agronegócio!

Pesquisador do LAE/USP avalia taxa de prenhez em vacas Angus was last modified: by