bg-medio-se-20-4

Preço do boi gordo em setembro de 2020 frente aos anos anteriores

O preço do boi gordo em setembro de 2020 foi recorde histórico em valor nominal, acumulando ganho de 56,7% frente ao mesmo período de 2019.

Pois é, em 2020 o preço do boi gordo ficou acima em todos os meses, pelo menos até setembro, quando comprado ao mesmo período dos anos anteriores (Figura). Aliás, o preço em 2020 ficou muito descolado dos valores praticados nos anos anteriores. Isso porque o preço médio de setembro de 2020, por exemplo, até o dia 29, de R$248,1 por arroba foi 56,2% maior que o praticado no mesmo período de 2019 (R$158,3 por arroba).

O Farmnews apresenta os dados mensais da variação do preço do boi gordo ao longo dos últimos meses, de 2018 a parcial de 2020. Clique aqui e confira!

A Figura a seguir ilustra a evolução dos preços mensais do boi gordo, em valores nominais, dentro de cada ano, de 2015 a parcial de 2020, até setembro (29), segundo indicador Cepea.

Fonte: Dados do Cepea (adaptado por Farmnews)

O preço do boi gordo em patamar recorde decorre de um cenário de oferta restrita e exportação recorde em 2020.

E por falar em oferta restrita, o ritmo de abate de bovinos no 2° trimestre de 2020, no Brasil, segue em queda e alcança menor valor para o período em 10 anos. Clique aqui e confira os dados! E com relação as vendas externas de carne bovina brasileira, clique aqui e confira os dados!

O fato é que o cenário que favorece o preço do boi gordo não reflete em lucro para o pecuarista, especialmente daqueles que dependem da reposição do rebanho no mercado. Isso porque a relação de troca de bezerros por boi gordo em 2020, por exemplo, segue como uma das menores da história, apesar da leve recuperação em setembro. Clique aqui e saiba mais do assunto.

A taxa de abate de vacas em relação ao total de bovinos abatidos no Brasil caiu sensivelmente em 2020, estimulados pelo preço recorde do bezerro (clique aqui).

Receba os estudos do Farmnews no WhatsApp!

Preço do boi gordo em setembro de 2020 frente aos anos anteriores was last modified: by