Mounting evidence continues to suggest that eating too much red meat -- such as bacon and hot dogs -- is linked with health problems.

Consumo de carne bovina no Brasil o mais afetado pela COVID-19

Dentre os principais mercados, o consumo de carne bovina no Brasil deve ser um dos mais afetados pela COVID-19.

Pelo menos é o que sugere os dados do USDA que, revisou em julho de 2020 a expectativa de consumo de carne bovina dos principais países.

O fato é que o USDA revisou de 59,56 milhões de toneladas para 58,97 milhões de toneladas em equivalente carcaça o consumo mundial de carne bovina para 2020, uma queda de apenas 1,0%.

Pois é, mas essa queda varia conforme os países e, em especial o consumo de carne bovina no Brasil deve ser um dos mais afetados pela COVID-19.

Vale lembrar que a previsão anterior, de abril, apontava que o consumo de carne bovina no Brasil alcançasse 7,85 milhões de toneladas em equivalente carcaça, valor 4,8% maior que a perspectiva atual, pós-COVID-19, de 7,49 milhões de toneladas em equivalente carcaça. Em 2019 o consumo de carne bovina no Brasil, segundo USDA somou o equivalente a 7,92 milhões de toneladas.

Nesse cenário é importante destacar que a carne bovina tem perdido competitividade frente a carne de frango. A relação de preços entre as proteínas tem mostrado um momento desfavorável ao consumo interno. Clique aqui e saiba mais do assunto!

Pois é, embora o consumo interno fragilizado devido a queda no poder de compra da maior parcela da população brasileira, a exportação de carne bovina do País segue quebrando recorde, o que vem sustentando o preço em patamar histórico do boi gordo (clique aqui).

A queda no consumo de carne bovina nos Estados Unidos, maior produtor e consumidor mundial deve ser pequena, uma vez que o USDA reduziu a expectativa de 12,38 para 12,33 milhões de toneladas em equivalente carcaça para 2020. Esse valor é pouco inferior ao consumo de 2019, de 12,40 milhões de toneladas em equivalente carcaça

E além dos Estados Unidos a China também tem uma expectativa de queda modesta no consumo de carne bovina em 2020 entre as revisões do USDA de abril e julho, passando de 9,42 para 9,35 milhões de toneladas em equivalente carcaça. Ainda sim, o valor de 9,35 milhões de toneladas fica acima do apurado em 2019, de 8,82 milhões de toneladas.

Em 2020 a China tem aumentado e, muito sua participação no mercado mundial de carne bovina. Clique aqui e saiba mais do assunto!

Receba os estudos do Farmnews no WhatsApp!

Consumo de carne bovina no Brasil o mais afetado pela COVID-19 was last modified: by

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!