confinadores

Confinadores avaliam cenário de custos e preço em 2020

Diante das incertezas relacionadas a COVID-19, muitos confinadores atrasaram a decisão de 2020, de olho no mercado, custos e preço.

Neste início da época das secas, pecuaristas, especialmente confinadores, se atentam aos preços do boi magro e do milho. Produtores também analisam a movimentação dos valores do boi gordo no mercado futuro (B3), no intuito de gerenciar a receita. Ainda que parte dos produtores que confina animais já tenha feito as contas dessa atividade de engorda, a pandemia de covid-19 e as consequentes incertezas geradas no mercado fizeram com que muitos adiassem e/ou limitassem a entrada de gado no cocho.

Os dados do LAE/USP mostram que custo da engorda de bovinos confinados segue acumulando forte alta em 2020 frente a 2019. Clique aqui e confira os dados!

Considerando-se o atual cenário, os preços do boi magro e do milho estão bem acima dos verificados no mesmo período de 2019, mas os ajustes dos contratos futuros do boi gordo na B3 sinalizam viabilidade do confinamento neste ano. Clique aqui e confira o comportamento dos preços do contrato futuro do milho em junho, até a parcial do dia 12 que, inclusive alcançou maior patamar ao longo de 3 meses!

Nesse contexto, vale lembrar que o preço da arroba do boi gordo em maio de 2020 apresentou alta em relação a abril após 12 anos. O valor do boi gordo em maio foi maior que a média de abril em 2020, o que não era visto desde o ano de 2008, ou seja, em mais de uma década. Clique aqui! E na parcial de junho o preço do boi gordo alcançou o maior valor nominal do ano até o momento, colaborando com as perspectivas positivas do mercado no segundo semestre do ano (clique aqui).

Quanto ao custo do confinamento, na média do estado de São Paulo, o boi magro em maio foi negociado a R$2.933,55, alta de 37,3% frente a maio de 2019, em termos reais (deflacionados pelo IGP-DI de maio de 2020). O mercado de reposição em especial tem sido destaque de alta no ano, com o bezerro quebrando recorde atrás de recorde e com valor quase 50% acima do praticado no mesmo período do ano passado (junho), em 2020. Clique aqui e saiba mais do assunto!

Quanto ao milho, apesar do alto patamar no final do ano passado e no início de 2020, os valores atuais estão se enfraquecendo, contexto que vem favorecendo a dieta de confinamento. Em maio, a média do Cepea do milho (região de Campinas – SP) foi de R$47,96 por saca de 60 kg, quase 35% acima do verificado em maio de 2019, em termos reais. É importante lembrar também que a expectativa de safra recorde e os compradores tem pressionado, para baixo, os preços do milho em junho de 2020 (clique aqui).

O Farmnews destacou também dados que mostram que a relação de preços do boi e do milho superou 4,0 sacas por arroba pela primeira vez no ano em maio. Clique aqui e confira os números!

O fato é que apesar dos custos do animal em alta, o cenário de preços do boi gordo e a relação de troca do milho sugerem um cenário positivo para os confinadores em 2020.

Adaptado do Cepea

Receba os estudos do Farmnews no WhatsApp!

Confinadores avaliam cenário de custos e preço em 2020 was last modified: by