Three-month-old pigs stand in a pen Paustian Enterprises in Walcott, Iowa, U.S., on Tuesday, April 17, 2018. Photographer: Daniel Acker/Bloomberg

Impactos da febre suína na produção e consumo da carne na China

O número de casos da febre suína africana na China diminuiu significativamente desde o segundo trimestre de 2020.

As fontes oficiais da China relatam que os investimentos em biossegurança e medidas da cadeia de suprimentos, tomadas principalmente por grandes empresas suínas, têm sido amplamente eficazes no controle da febre suína no país.

Além disso, o apoio político do governo estimulou positivamente a recuperação do mercado, resultando em crescimento do rebanho e da produção de carne suína. E a previsão é que essa expansão continue em 2021.

Vale lembrar que em 2019 o abate de suínos na China somou 544,2 milhões de cabeças, enquanto a expectativa para 2020 subiu de 415,0 para 455,0 milhões de toneladas. E para 2021 a projeção é que o abate de suínos alcance 505,0 milhões de cabeças.

E acompanhando o crescimento do abate, a produção de carne suína que em 2019 foi de 42,5 milhões de toneladas em equivalente carcaça, deve cair para 38,0 milhões de toneladas em 2020 e novamente voltar a crescer em 2021 para 41,5 milhões de toneladas em equivalente carcaça.

Com relação a demanda, o consumo de carne suína que foi de 44,86 milhões de toneladas em equivalente carcaça em 2019. Em 2020 a expectativa de consumo foi de 42,2 milhões de toneladas e para 2021 o consumo deve atingir 45,1 milhões de toneladas em equivalente carcaça e superar o valor de 2019.

Pois é, em 2021 a produção de carne suína na China deve novamente voltar aos níveis anteriores a febre suína.

Apesar da atenção mundial esteja agora mais relacionada aos efeitos da COVID-19, a febre suína continua a se espalhar e preocupa também a Europa! Clique aqui e saiba mais do assunto!

E, claro, como consequência do aumento da produção no país, as importações recordes de carne suína em 2020 (4,3 milhões de toneladas) devem recuar cerca de 14,0% em 2021, para 3,7 milhões de toneladas em equivalente carcaça.

O Farmnews apresenta os dados acumulados da importação de carne bovina do Brasil pela China, de janeiro a julho, de 2015 a 2020. Saiba como evoluíram os dados da importação de carne bovina brasileira pela China nos últimos anos, em receita, embarques e preço? Clique aqui e confira!

Afinal, o que é a febre suína africana, como ela se espalha, quais os riscos à saúde e à produção de alimentos no mundo? Clique aqui e confira!

Receba os estudos do Farmnews no WhatsApp!

Impactos da febre suína na produção e consumo da carne na China was last modified: by