Gestão

2021 foi marcado por preços recordes mas pior ano para repor o rebanho

O ano de 2021 foi um ano marcado por preços recordes em valores nominais mas também como o pior deles para repor o rebanho.

Apesar das oscilações no preço do mercado pecuário no ano seja para baixo como para cima, o resultado do ano foi positivo, sem falar em margem de lucro. Na parcial de 2021 até o dia 10 de dezembro o preço médio do boi gordo ficou em R$305,3 por arroba em valor nominal, valor 35,0% maior que a média nominal de 2020 (R$226,3).

Contudo, é importante destacar que preço alto de venda não significa necessariamente margem alta. E isso é algo que merece ser destacado em 2021 e vamos exemplificar isso pela queda no poder de compra do pecuarista no momento de repor o rebanho.

Isso porque se por um lado o preço nominal do boi gordo alcançou valores recordes, por outro a relação de troca por bezerro foi a pior da história (Figura). Claro esse movimento de retenção de vacas fruto do estimulo à atividade de cria deve resultar em uma maior oferta de bezerros nos próximos anos e melhorar essa relação de troca de bezerros por boi gordo. O ciclo pecuário como todos sabemos, começa com o bezerro.

Mas é importante considerar também o comportamento dos dados históricos da relação de troca. Ano após ano o poder de compra do pecuarista diminui. Apesar de alguns movimentos de recuperação a tendência é de queda (Figura).

A Figura a seguir ilustra a relação de troca de bezerros por boi gordo de 16,5@, segundo dados médios anuais do Cepea, entre 2000 e a parcial de 2021, até dezembro (10).

Fonte: Dados do Cepea (adaptado por Farmnews)

Essa queda no poder de compra no momento de repor o rebanho tem algumas implicações, principalmente nos resultados da engorda.

Nesse aspecto o pecuarista certamente tem feito seu dever de casa, aprimorando seus controles e sua eficiência produtiva. Ninvuém melhor que o produtor sabe seus desafios diários com a atividade.

Mas, voltando as questões de mercado que é onde podemos contribuir com a discussão é lembrar que uma maior oferta de bezerros no mercado nos próximos anos pode não necessariamente implicar na queda significativa de preços. O que de fato sabemos é que a expectativa é de uma maior oferta de bezerros e bezerras mas não falamos ainda da demanda.

A exportação de carne bovina do Brasil em 2021 foi prejudicada pela suspensão das vendas para a China no final do ano, mas ainda sim ficou próximo do recorde histórico de vendas no acumulado até novembro. E embora os embarques para a China ainda estejam suspensos, a perspectiva segue muito otimista para os próximos anos.

O Farmnews apresenta os dados de exportação de carne bovina do Brasil em novembro em mais de uma década, de 2012 a 2021. Clique aqui e confira os dados!

No mercado interno, os últimos anos tem sido marcados por queda no consumo, uma vez que o poder de compra do brasileiro tem sido afetado também por um cenário de inflação generalizado. Mas em 2022 os dados mostram uma perspectiva de recuperação, ainda que os patamares esperados fiquem abaixo dos já observados em anos anteriores, como mostram os dados do USDA (clique aqui).

Clique aqui e receba os estudos do Farmnews pelo WhatsApp!

2021 foi marcado por preços recordes mas pior ano para repor o rebanho was last modified: by

Ivan Formigoni

Zootecnista, editor do Farmnews e interessado em fornecer informações úteis aos nossos leitores!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: